Home / Blog do Ademir O Mago / O perigo do retrocesso em Goiás
.

O perigo do retrocesso em Goiás

 

As pesquisas ao longo da pré-campanha têm indicado que Ronaldo Caiado deve mesmo estar no segundo turno ou até mesmo vencer no primeiro. A consolidação de sua liderança acontece no momento em que a candidatura produz reações preocupantes, a exemplo as de Bolsonaro no cenário nacional que colocam outra vez em xeque os pilares da democracia.

Em áudio recentemente divulgado, o prefeito de Turvânia e apoiador de Caiado chamou para briga sua oposição, de que não aceitará novos apoiadores que ele chama de adesistas, a eventual vitória do candidato do DEM um adversário. Em um dos debates, quando provocado pelo candidato do Daniel Vilela, ele foi talvez, o que tem sido raro, CAIADO de fato, repreendeu de forma áspera, citando seu entrevero com Antony Garotinho e falou em enquadrá-lo como se polícia ele fosse e o emedebista um marginal, foi uma ameaça grave e o eleitor precisa ficar atento a isso.

Ele tem sido um ator bem dirigido, um personagem que tudo faz muito bem dirigido pela sua equipe de marketing, o momento com Daniel, foi uma ameaça grave e o eleitor precisa ficar atento a isso e para quem pode estar entregando os destinos de Goiás, o candidato do DEM precisa reconhecer a legitimidade dos adversários, que assim como ele tenta destronar o TEMPO NOVO, mas especificamente Marconi Perillo.

O MDB tem tratado o candidato do governo José Eliton como se fosse alguém sem personalidade, um novo Alcides Rodrigues, que teve a sua campanha em cima do É Alcides é Marconi, Alcides é 11 e que ao assumir o governo o terceirizou ao seu secretário da Fazenda Jorcelino Braga, o ZÉ  como o definiu seu Marketing é um advogado preparado e aproveitou a sua passagem pela vice em dois governo para conhecer a máquina administrativa e seu estado e nos seis meses à frente da Gestão, não ficou apenas na campanha, que aliás fez pouco, pôs a mão na massa e implementou vários programas nesse pouco tempo, ele não é o Cidinho, pode ser Zé, mas não é Mané, sabe porque veio e o que quer.

O PT, por sua vez, ainda preso a Lula, que está preso, paga pelo pecado de ter enfrentado as elites e esquecido a classe média, para governar faz acordos com todos os partidos do famigerado Centrão e até dar piscadas para o DEM, está pagando a conta sozinho, no sectarismo e falso moralismo do Ministério Público, bem como de Juizes Globais como Moro, fez vistas grossas em razão dos acordos aos inúmeros desvios praticados por todos os partidos, limitando-se a dizer que os outros partidos também se envolveram. Essa postura definitivamente é o principal motivo que faz com que grandes contingentes de brasileiros odeiem o partido e prefiram votar em Bolsonaro no plano federal e em Caiado no Estadual.

O PSDB que não soube perder para Dilma Rousseff, esperar quatro anos e ver o PT naufragar, começou esse um processo de ódio ao PT, liderados por Aécio Neves, um despreparado, que viveu sempre a sombra do avô Tancredo Neves, está pagando agora a nível nacional e pelos estados, como acontece em Goiás, com riscos até para seu maior líder Marconi Perillo.

Analistas procuram entender como dois cidadãos truculentos com Bolsonaro e Caiado podem liderar pesquisas no Brasil e em Goiás, colocando em risco a democracia brasileira e os avanços experimentados pelos goianos nos últimos anos. A sua participação nos últimos dias será muito importante, em debates com os amigos e nas redes sociais, pesquisando sobre o passado de todos e não levados pela falácia da terra arrasada e que tudo precisa ser mudado no âmbito majoritário e no campo dos candidatos a deputados, aí é que a coisa pega, o oportunismo em nome que todo o congresso é povoado de bandidos, pode sim transforma-lo, não só em uma organização criminosa, como em um manicômio. Pense nisso!

 

Veja Também

TRINTA E CINCO OU TRINTA E SETE VEREADORES, NÃO SIGNIFICARIA NADA, ALÉM DE SURTO ÉTICO INÚTIL

O episódio do aumento do número de vereadores na Câmara Municipal de Goiânia, mais uma ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *