Home / Cidades / Pesquisa da UFG investiga motivos para baixa lotação dos estádios brasileiros
.

Pesquisa da UFG investiga motivos para baixa lotação dos estádios brasileiros

Resultados amparados em base de dados do Brasileirão revela sucesso das partidas realizadas nas manhãs de domingo e aumento da probabilidade de vitória em função de estádios mais cheios

 Apesar da tradição do futebol brasileiro, a gestão dos clubes sofre com problemas estruturais e organizacionais crônicos. O País do Futebol, em geral, tem baixa lotação nos estádios: estima-se que a ocupação média de jogos de Flamengo e Corinthians, os dois maiores clubes do Brasil, chega a 40% durante as partidas do Campeonato Brasileiro, enquanto em países como Inglaterra e Alemanha esse número aproxima-se de 100%. Ciente de que há poucas pesquisas sobre o assunto, o Grupo de Pesquisa e Extensão em Marketing e Comportamento do Consumidor da Universidade Federal de Goiás (ADMKT/UFG) realizou uma ampla análise a partir de uma base de dados inédita do Campeonato Brasileiro de Futebol. A base de dados cobre todas as partidas realizadas entre 2012 e 2017.

Entre os achados do relatório estão o bom desempenho de público nas partidas realizadas no período da manhã. Muito se discutiu sobre o apelo do horário quando ele foi definido pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O resultado é que as partidas não só têm interesse do público, como os dados revelam que as taxas de ocupação são significativamente mais altas para partidas realizadas aos domingos de manhã, tanto no início quanto no fim da competição. Outra constatação é que a ocupação dos estádios é maior nas últimas oito rodadas, exceto no caso de times que podem ser rebaixados.

A marca também é um fator importante na definição da ocupação dos estádios. Partidas envolvendo Corinthians e Flamengo têm público significativamente maiores que as dos outros clubes que participaram do Brasileirão no período 2012-2017. E essas taxas de ocupação são maiores tanto para partidas realizadas no início quanto no fim do campeonato.

Outro resultado interessante envolve a estimação da probabilidade de vitória: estádios mais cheios interferem na probabilidade de vitória dos mandantes das partidas.  A probabilidade de vitória é a mesma quando as taxas de ocupação dos estádios é inferior a 40%. Entretanto, conforme a taxa de ocupação sobe para patamares superiores a 41%, a probabilidade de vitória também sofre alterações positivas. Essa probabilidade pode chegar próximo à 60%, caso a taxa de ocupação do estádio seja de 81% ou mais.

Para ver o relatório completo acesse: https://bit.ly/2EvmsJz

Veja Também

José Eliton lança programa para a Pessoa com Deficiência e Carteira de Identificação do Autista

“Pela primeira vez, nosso estado cria condição efetiva de participação das entidades. Isso nos dá ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *